Do desconhecimento ao conhecimento excessivo

Esta análise contém duas noticias não porque não houvesse matéria para serem analisadas em separado mas porque estão interligadas.

Não tenho por hábito analisar aquelas que se encontram no espectro da primeira porque quando elas aparecem são normalmente seguidas da segunda o que por norma prova que não se trata de noticias como as conhecemos mas de pressão sobre o Executivo.

Traduzindo: A primeira noticia que aqui apresento prende-se com a vida fiscal de Pedro Passos Coelho e a segunda com a prisão de um Director e um Chefe de Serviço da Segurança Social de Lisboa.

Pode parecer idiota ou infantil mas há que questionar: o que têm estas duas noticias em comum? Infelizmente a resposta é óbvia mas a ordem inversa pois neste caso altera-se a ordem natural das coisas sendo que a primeira é consequência directa da segunda.

Muitos podem pensar que brinco com as palavras para confundir o leitor, que estou na linha da frente para atacar os políticos de outro espectro politico mas que não ataco “os meus” o que não é totalmente verdade. Eu ataco “os meus” em sede própria, não os ataco nas redes nem em qualquer outro meio que não a sede própria porque para mim, há uma linha que separa a frontalidade da lealdade e eu tenho ambas as características e por isso adopto esta postura. No entanto, digo e afirmo que o Partido precisa de uma limpeza profunda e contém elementos que eu não considero terem qualidades e capacidade para fazerem parte deste grupo de cidadãos que partilham a mesma ideologia politica.

Esse não é sem dúvida o caso de Pedro Passos Coelho. Devo aproveitar para dizer que quando se candidatou a primeira vez à liderança do Partido eu votei em Paulo Rangel. Preferi o discurso e a postura dele mas conquistou-me pelo trabalho, pela capacidade de liderança, pela simplicidade de discurso, pela transparência e pelo trabalho que tem feito em prol do País.

Daí que, e porque não só eu mas várias pessoas que conheço, passamos pela mesma situação que não lhe reveja a maldade que lhe imputam. Também eu já tive uma dívida à Segurança Social que foi paga e apesar de ser senso-comum não o podermos fazer, eu fi-lo, tal facto aconteceu por desconhecimento de causa. Eu não sabia, e não fui nunca informada que se abro actividade, o simples facto de não a manter não chega, é preciso encerrá-la para não ser alvo de penalização e como tal, a dívida foi liquidada.

Neste artigo, Pedro Passos Coelho admite que nem sempre a sua vida contributiva foi regular e que quando não pagou por sua iniciativa – também ele sofreu do mal do desconhecimento de causa – o fez posteriormente quando foi incitado a fazê-lo.

Estamos a falar de dividas que assumem o valor total de cerca de €5.000 devido ao facto de terem acumulado juros. Não seria então de questionar a actuação da Lei? Não deveria o cidadão ser informado quando entra em incumprimento? Se há mais de 9.000 cidadãos na mesma circunstância, então são vários os que estão mal e nem por isso se pede “a cabeça” deles e isto fora as situações que prescreveram.

É claro que os políticos têm que dar o exemplo ainda para mais numa sociedade que é órfã de bons exemplos. É claro que pelo cargo que desempenham, pelas responsabilidades que assumem e por gerirem dinheiros públicos devem ter o comportamento mais exemplar possível. Ninguém põe isso em causa.

O que eu ponho aqui em causa são outras questões nomeadamente o timming em que esta informação é veiculada; a coincidência entre as duas noticias – a “revelação” sobre a carreira contributiva de Passos Coelho e a prisão de um Director da Segurança Social em Lisboa; o momento politico e o facto de todos os que andamos neste mundo da Politica sabermos que esta “politica rasteira” é o modus operandi do PS mesmo quando tem outros argumentos.

É mais do que natural que o sr. Director soubesse que ia ser preso e tivesse tentado impedir a situação mas um Governante que disse “não!” ao Dono Disto Tudo também lhe diria que não a ele e vai daí, esta noticia atinge os tablóides tentando prejudicar o presente e futuro Primeiro-Ministro de Portugal.

Se somarmos ao facto de a grande maioria dos Directores da Segurança Social, bem como de outros serviços, serem filiados no PS com a sondagem que atribuía um “empate técnico” (já tive oportunidade de expressar a minha opinião quanto a isso) entre as duas forças politicas, faz com que este cenário fosse mais do que expectável.

O que me espanta é a ligeireza com que alguns PPD/PSD de base ainda caem nestas cantigas e a par de alguns coiotes, juntam as suas vozes às deles a pedir a demissão ou substituição de Pedro Passos Coelho na liderança do Partido. Isto é mais uma manobra de bastidores, uma forma de desviar atenções, uma forma de denegrir a imagem de um dos melhores políticos dos últimos tempos e aquele que tem todas as condições para levar o PPD/PSD a uma maioria absoluta em Outubro deste ano e assim fazer a tão desejada limpeza no seio do Partido.

Não será esta situação e muito menos a frontalidade com que Passos Coelho a enfrentou que me fará tremer no apoio a este Homem, antes pelo contrário, só o reforça.

As minhas baterias estão apontadas a duas frentes: o Gabinete de Imprensa do Governo que mais uma vez nem antecipa, nem resolve e ao funcionamento da Segurança Social que sendo Lei ou não e sabendo nós que quanto mais as dividas se prolongarem no tempo mais o Estado ganha, deveria ter uma postura mais consciente e agindo como consciencializador da sociedade.

A fuga de informação, mais uma vez, actua como “arma de arremesso” do PS e mais uma vez nada vai ser feito mas então se assim é, para que serve a Autoridade de Protecção de Dados? Porque não se desmantela e os seus funcionários não são despedidos? Isso é que era de valor e ficava mais barato ao Estado.

Não vamos cair em falácias nem vamos deixar que a Politica rasteira do PS nos atire areia para os olhos. É deles a culpa da 3a bancarrota, é deles a culpa da taxa de desemprego, é deles a culpa do estado em que ficou a Economia, é deles a culpa da depauperação do Património. São eles quem não tem alternativa, são eles quem tem que agora fazer a sua depuração e a  (que se espera longa e penosa) “travessia do Deserto”.

Somos uma Democracia há 40 anos, só cai nestas estórias “de faca e alguidar” quem quer porque quem anda atento não dá importância nenhuma a este ruído.

http://economico.sapo.pt/noticias/director-da-seguranca-social-de-lisboa-detido-por-suspeitas-de-corrupcao_213233.html

http://www.publico.pt/politica/noticia/passos-admite-mas-minimiza-problemas-no-seu-cadastro-fiscal-1688016?page=-1

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s