Varoufakis deixa a ideologia na gaveta?

Desde que foi eleito que este senhor me fez confusão. Esta mania de os correlegionários da esquerda e extrema-esquerda gostarem de aparecer de pólos e sem gravata na esperança de que o aparente ar menos formal e mais descontraído os faça parecer como parentes pobres dos engravatados do “establishment” é algo que me custa a aceitar.

Varoufakis quer passar a imagem de um Ministro das Finanças duro e com quem é difícil negociar, que quer usar o peso histórico da Grécia para fazer vingar a sua postura de “mau pagador” para agradar aos seus conterrâneos, subscrevendo propostas recheadas de populismo barato e como tal impraticável para um País a um passo de entrar em default.

Por falar nisso, em que níveis andam os ratings da Grécia? Ai está algo de que eu gostaria de ouvir falar…

Voltando, Varoufakis aparece na primeira reunião do Eurogrupo, aquela onde deveria lutar pelas promessas que o seu Partido fez na campanha e onde deveria mostrar toda a sua animosidade e poderio que a História lhe confere, com um ar sorridente, um extremista de esquerda que repudia os organismos supra-nacionais deveria ter pelo menos uma postura mais séria e recatada pois não se deveria sentir confortável num ambiente ao qual não reconhece autoridade, com um cachecol da Burberry´s. Já aí veio parar às redes e foi alvo de contestação.

Agora e sendo que já teve que baixar a cabeça à razão.já teve que meter propostas no fundo da gaveta, continua a insistir no delírio de mudar o nome às Instituições Internacionais, quiçá na esperança de enganar os gregos e de os fazer acreditar que ainda detém algum Poder e que vai fazer vergar os credores à sua vontade férrea, o senhor dá uma entrevista para uma “revista do social” (o equivalente à nossa Caras, se quiserem) onde mostra que gosta de bons vinhos (caros) que tem uma casa numa zona privilegiada e até mudaram de roupa duas vezes para a reportagem.

Ora eu nada tenho contra os que têm muito, gostam de roupas de marca, bons carros, boas casas. Eu fico feliz por haver dinheiro a circular. Do que eu não gosto é que me tentem passar atestados de ignorância. Do que eu não gosto é de ideologias de esquerda com gostos de direita, do que eu não gosto é de hipocrisia ou de desonestidade intelectual.

Se  o senhor Varoufakis é rico, se ganhou o dinheiro honestamente, óptimo. Não me chateia que ele o tenha, só me chateia que ele defenda uma ideologia castradora das liberdades e das garantias e que faça os seus conterrâneos de estúpidos quando defende uma coisa e pratica outra.

Por isso achei que esta noticia merecia destaque. Não para criticar os gostos faustos do senhor mas para alertar as Catarinas Martins cá do burgo. Da extrema-esquerda à extrema-direita, é praticamente impossível que quem defende as ideologias as cumpra na integra. A que mais cumpre os requisitos é a social-democracia por se encontrar a meio do espectro e por partir do principio que há ricos e pobres e que não há nada de mal nisso, embora se pretenda, como é evidente que eles sejam sempre no número mínimo possível até atingirem o preferível Zero. No entanto, só o percebermos e aceitarmos que eles existem já lhes confere dignidade e portanto faz com que queiramos lutar contra esse flagelo e não transformarmos toda uma Nação em vitimas de pobreza e miséria extrema.

A única coisa porque luto é por dignidade na expressão das convicções de cada um e essa dignidade manifesta-se nos comportamentos que as pessoas vão tendo. Têm todo o direito de serem ricos mas assumam-no. É frequente ver seguidores, principalmente da extrema-esquerda porque por norma os comunistas até têm decoro, a exibirem telemóveis topo de gama, a vestirem roupas de marca, a conduzirem carros de gama média-alta, a gostarem de viajar e até a gozarem de viagens ao Parlamento Europeu. A minha questão é só uma: se eles repudiam o Capitalismo e renegam as Instituições supra-nacionais, como é que explicam o estilo de vida e se sentem tão bem no Hemiciclo de Bruxelas?

É isto que eu questiono e é isto que eu repudio porque para mim é “ter as ideias para um lado e a carteira para o outro” e isso para mim é desonesto.

Deixo-vos uma pergunta: Quantas manifestações já houve em Atenas desde que saiu a publicação do Paris Match? Quantos insultos já foram proferidos? Quantos incêndios já foram ateados? Nenhum??!!!! Como é possível? Será que os gregos concordam com isto? Será que invejam Varoufakis? Será que se pudessem, faziam o mesmo?

Preocupante, não?

http://expresso.sapo.pt/um-ninho-de-amor-vinho-branco-socialismo-e-mulher-de-varoufakis-fazem-furor-no-twitter=f914895

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s