Presidenciais 2016

Depois de toda a tragédia que tem sido a vida politica portuguesa desde Outubro último, que não me tenho dirigido a nenhum assunto em particular apenas comentando uma ou outra situação de forma menos analítica.

No entanto, agora que estamos a entrar no período de reflexão que antecede qualquer acto eleitoral, neste caso as Presidenciais, considero que me devo dirigir a esta matéria.

Já tenho afirmado e explicado o porquê da minha escolha neste acto. Essa escolha recai sobre o único candidato que sinto que me representa dada a minha visão plural e estratégica para o País.

Não concordei com a imposição do Prof. Marcelo ao Partido e à Nação, não me revejo no seu discurso, nas suas posturas, na sua linha presidencial e muito menos no apoio que ele dá declaradamente ao Executivo em funções. Ao renegar o apoio oficial da Coligação e ao querer apresentar-se como um (in)dependente, o Prof assume que não precisa dos militantes para nada. Ora se o Partido não foi a eleições internas para a escolha do candidato e se este renega o Partido, isso liberta os militantes para votarem no candidato em que se revejam.

Por muito que o argumento do seguidismo ainda vá vencendo em algumas mentes, eu, militante ou não, voto sempre em consciência. Assim aconteceu nas últimas autárquicas, assim acontecerá agora. Querem o meu voto, apresentem-me candidatos em quem eu reveja capacidade de trabalho e que eu respeite. O argumento de que “temos que votar Marcelo porque senão ganha o Nóvoa” também não me convence. Nóvoa está em segundo, é certo mas sem hipótese nenhuma de ganhar – isto se o PS não utilizar a mesma técnica que utilizou na AR e somar os votos de todos os perdedores. Aí sim, Nóvoa pode ganhar. De outra forma, votar no Prof é só uma questão ideológica, como é um candidato de Direita, todos os que subscrevem esta ala devem votar nele.

E que tem ele a apresentar?

Então o senhor tem uma longa carreira académica e nenhuma experiência no mercado de trabalho; forma mentes dentro dos parâmetros de uma CRP caduca e desactualizada que a maioria do seu eleitorado afirma que necessita de ser revista e modificada. Mas o Prof defende-a aumentado os desequilíbrios entre o Público e o Privado, mantendo as elites, às quais o próprio pertence e portanto estando disposto a perpetuar as desigualdades e o actual status quo.

A somar a tudo isto e como se não fosse já suficiente, o Prof ainda apoia o actual Executivo, reafirma a sua amizade pelo “seu aluno” António Costa e assume tudo fazer para o manter durante o período de uma Legislatura. Aqui coloca-se uma importante questão: está o Prof a defender a estabilidade e o Supremo Interesse Nacional apostando num Executivo ilegítimo que em breve conduzirá o País a uma nova bancarrota ou estará a olhar pelos seus próprios interesses e dos amigos como Ricardo Salgado?

Isto aliado ao facto de não ter uma única ideia na esfera económica, não dizer como vai abordar os vários desafios e não se posicionar claramente, fazem dele, para mim, um candidato “fora da corrida” desde o primeiro momento.

Por outro lado, há um candidato no qual ” aposto todas as minhas fichas”. De seu nome Henrique Neto, é um senhor com uma vasta experiência de trabalho e empresarial. É militante socialista, e todos sabem que não os suporto mas teve durante o seu curto percurso – se contarmos só o período pós 25/Abril, uma postura interventiva e de incentivo à melhoria. Tem várias obras escritas sobre a Economia e a Estratégia que Portugal deve seguir e não tem qualquer pejo em criticar abertamente “os seus” como fez com Sócrates mas fazendo-o de uma forma inteligente e sempre apresentando soluções para os problemas internos do Partido ou externos do País.

A juntar a tudo isto, Henrique Neto não apoia esta solução governativa e tem ideias claras sobre todas as matérias com que foi confrontado nos vários debates desmontando a demagogia dos seus opositores.

Podem dizer que Henrique Neto é velho, eu considero que ele é sabedor e experiente. Podem achar que que ele não vai aguentar 10 anos, porque é apanágio dos portugueses reelegerem o Presidente da República independentemente da qualidade do seu primeiro mandato.

E se formos a ver, o primeiro mandato é o mais importante e aquilo que se vê quando as pessoas apostam cegamente em Marcelo, é que não têm visão politica e estratégica nenhuma. Senão vejamos:

Se Henrique Neto ganhar, as hipóteses de dissolução da AR crescem. Com elas cresce a possibilidade de Directas no PS e de eleição de um novo líder que se prevê mais moderado. Ora assim sendo, Henrique Neto se for eleito, e sendo favorável a uma revisão da CRP, pode fazer a ponte entre os dois Partidos conseguindo consensos históricos e provocando uma verdadeira mudança institucional.

Se todos aqueles que dizem votar Marcelo apesar de não concordarem e não gostarem dos posicionamentos que tem tido, se unissem e votassem Henrique Neto as hipóteses deste candidato subiriam em flecha mas não, a partidarite e o seguidismo não o permitem e poderemos levar com o Prof Marcelo durante 10 anos e na pratica, com 8 anos de socialismo.

Neste cenário, temos já prevista uma nova bancarrota para o primeiro semestre deste ano o que equivale a uma repetição do cenário de 1979/1983. Já dizia o Engenheiro da terceira bancarrota ” é só fazer as contas”.

O que sei é que temos finalmente um candidato que se apresenta com obra feita, que criou riqueza e postos de trabalho, que não é seguidista nem do sistema. Deveria portanto ser premiado com mérito mas como tal não vai acontecer, o que se pode concluir é que “o português fala da boca para fora” e “critica pelo simples prazer de criticar” e fazendo uma opção “dentro da caixa” perde toda a credibilidade para se queixar ou exigir seja o que for.

Eu não!

Vêmo-nos no próximo artigo! 😉

 

 

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s